Linguagem corporal: Verdade do pé apontado

 Linguagem corporal: Verdade do pé apontado

Thomas Sullivan

Podemos deduzir o que vai na mente de uma pessoa apenas lendo a linguagem corporal dos seus pés? Esta é a pergunta a que este artigo tenta responder.

Quando comunicamos com os outros, concentramos a nossa atenção principalmente nas palavras e nas expressões faciais, prestando pouca ou nenhuma atenção aos gestos do corpo e, quando se trata dos pés, quase nunca olhamos para eles.

No entanto, como mencionei num post anterior sobre a linguagem corporal dos movimentos dos pés, o que o pé de uma pessoa faz pode ser a pista mais exacta da sua atitude.

Quanto mais distante uma parte do corpo estiver do cérebro, menos nos apercebemos dos seus movimentos e, por conseguinte, menos somos capazes de a manipular.

Isto significa que, embora possamos facilmente manipular as nossas expressões faciais para esconder as nossas emoções ou transmitir emoções que não sentimos, é difícil fazê-lo com os pés.

Assim, os nossos pés revelam muitas vezes os nossos verdadeiros sentimentos sem que nos apercebamos disso. Por conseguinte, um perito em linguagem corporal não terá dificuldade em compreender o que se passa na sua mente apenas olhando para os seus pés.

Linguagem corporal de pés apontados

Numa situação em que estamos a interagir com os outros, a direção para a qual apontamos o nosso pé dominante revela a direção para a qual queremos ir. Não importa se estamos de pé ou sentados.

Na linguagem corporal, a direção para onde uma pessoa aponta o pé revela a direção para onde quer ir, mesmo que pareça estar a conversar com outras pessoas.

Por exemplo, se vir uma pessoa a falar com outra, mas o pé dela estiver a apontar para si, significa que está interessada em si e quer aproximar-se de si.

A pessoa que aponta o pé na sua direção está a pensar em aproximar-se de si, mesmo que pareça estar ocupada com o seu próprio grupo.

A pessoa tentará mantê-lo no seu campo de visão o máximo de tempo possível e com a maior frequência possível.

É interessante notar que, mesmo antes de a pessoa orientar o seu corpo na direção em que quer ir, orienta o seu pé, ou seja, o apontar do pé precede a orientação do corpo.

A orientação corporal, o olhar prolongado e o apontar dos pés, em conjunto, são sinais seguros de que uma pessoa está interessada em si. Estão literalmente a pedir para serem abordados.

A posição do pé para a frente

Observe duas pessoas que estão totalmente interessadas uma na outra durante uma conversa e pode reparar que cada uma delas aponta um pé (o pé principal) para a frente, na direção da outra pessoa.

Se apenas um deles achar o outro interessante, verá apenas um pé a dar um passo em frente. Naturalmente, a pessoa interessada será aquela que assume a posição de pé em frente.

Este gesto transmite interesse e/ou atração por duas razões.

Primeiro, a pessoa está a apontar o pé para a outra pessoa e a direção para a qual apontamos o pé revela para onde queremos ir.

Mesmo que a pessoa já esteja a conversar com a outra pessoa que considera interessante, gostaria de ir na sua direção e envolver-se mais com ela. Talvez para estabelecer um maior contacto corporal.

Em segundo lugar, este gesto é uma tentativa de reduzir o espaço pessoal entre as pessoas envolvidas, quase como se a pessoa estivesse a "começar a andar" em direção ao que lhe interessa.

Pense na linguagem corporal que as pessoas exibem quando a sua paragem está prestes a chegar, quando viajam de comboio. Notará que a sua postura se torna erecta e que colocam as mãos nos joelhos.

Esta linguagem corporal pode ser pensada como a linguagem corporal de "começar a levantar-se". Da mesma forma, pode pensar em apontar o pé como a linguagem corporal de "começar a caminhar em direção a".

Numa situação de grupo, se observarmos a direção em que uma pessoa "começa a andar", facilmente descobrimos quem é que essa pessoa acha mais interessante ou atraente.

O tipo da direita parece interessado na conversa.

Hora de sair

Se quisermos sair de uma reunião ou de uma conversa, o nosso pé apontará para a saída mais próxima.

Se notar isto numa pessoa com quem está a falar, pode significar uma de muitas coisas. Pode ser que a pessoa não está interessada em si ou no que tem para dizer. Ou que provavelmente está atrasada para um compromisso ou que talvez queira ir à casa de banho. Por isso, o contexto é importante.

Numa conversa de grupo, a pessoa que sai primeiro será aquela que tinha o pé apontado na direção oposta à do grupo. Sairá exatamente na direção para onde o seu pé estava a apontar, como se fosse puxada por uma corda imaginária ao longo de uma linha reta.

Veja também: Porque é que a vida é tão má?

Algumas mulheres, quando começam a pensar em sair da sala, apontam o pé em direção à porta e começam a ajustar a parte de trás da roupa e o cabelo para dar uma boa impressão de retrovisor quando saem.

O tipo da esquerda provavelmente quer ir-se embora.

Dedos dos pés virados para cima

Quando uma pessoa levanta os dedos dos pés do chão, apontando-os para cima, isso significa que a pessoa está de bom humor ou que está a pensar ou a ouvir algo positivo.

Veja também: Porque é que a descodificação da linguagem corporal é importante

Por exemplo, se um professor anunciar uma viagem de campismo à turma, os alunos especialmente entusiasmados apontarão os dedos dos pés para cima.

Se reparar que uma pessoa aponta os dedos dos pés para cima enquanto fala ao telefone, é provável que esteja a ouvir algo de bom ou que esteja simplesmente a apreciar a conversa.

Poderá confirmar este facto pelo sorriso frequente durante a conversa.

Quando as pessoas falam com aqueles que consideram atraentes, podem apontar os pés para cima porque estão a avaliar positivamente a sua situação atual.

Thomas Sullivan

Jeremy Cruz é um psicólogo experiente e autor dedicado a desvendar as complexidades da mente humana. Apaixonado por compreender as complexidades do comportamento humano, Jeremy esteve ativamente envolvido em pesquisa e prática por mais de uma década. Ele possui um Ph.D. em Psicologia por uma instituição renomada, onde se especializou em psicologia cognitiva e neuropsicologia.Por meio de sua extensa pesquisa, Jeremy desenvolveu uma visão profunda de vários fenômenos psicológicos, incluindo memória, percepção e processos de tomada de decisão. Sua experiência também se estende ao campo da psicopatologia, com foco no diagnóstico e tratamento de transtornos de saúde mental.A paixão de Jeremy por compartilhar conhecimento o levou a criar seu blog, Understanding the Human Mind. Ao selecionar uma vasta gama de recursos de psicologia, ele pretende fornecer aos leitores informações valiosas sobre as complexidades e nuances do comportamento humano. De artigos instigantes a dicas práticas, Jeremy oferece uma plataforma abrangente para quem busca aprimorar sua compreensão da mente humana.Além de seu blog, Jeremy também dedica seu tempo ao ensino de psicologia em uma importante universidade, alimentando as mentes de aspirantes a psicólogos e pesquisadores. Seu estilo de ensino envolvente e desejo autêntico de inspirar os outros fazem dele um professor altamente respeitado e procurado na área.As contribuições de Jeremy para o mundo da psicologia vão além da academia. Ele publicou vários artigos de pesquisa em revistas conceituadas, apresentando suas descobertas em conferências internacionais e contribuindo para o desenvolvimento da disciplina. Com sua forte dedicação ao avanço de nossa compreensão da mente humana, Jeremy Cruz continua a inspirar e educar leitores, aspirantes a psicólogos e colegas pesquisadores em sua jornada para desvendar as complexidades da mente.